fbpx
Live EvilRoadie News
Tendência

ANDRE MATOS EXPERIENCE – São Paulo (SP)

17 de setembro de 2022 - Manifesto Bar

Por Marcelo Gomes

Fotos: Roberto Sant’Anna e Marcelo Gomes

O Manifesto Bar, conhecido como Templo do Rock em São Paulo, recebeu no último sábado, 17 de setembro, a “Andre Matos Experience”, evento idealizado por Anderson Bellini, diretor do documentário Andre Matos – O Maestro do Rock, para celebrar o aniversário do saudoso Andre Matos, que completaria 51 anos em 14 de setembro. Com uma imersão dentro da obra do artista, o evento contou com a exibição da primeira hora do Episódio 2 do documentário e shows do “Alive” e da banda Here I Am. Em um clima de nostalgia, a Andre Matos Experience deixou os fãs emocionados com a celebração ao legado de um dos maiores nomes do metal.

Já no horário de abertura da casa, a fila de fãs, alguns que vieram de outras cidades e até mesmo outros estados, dobrava a esquina. Todos, claro, estavam ansiosos pelo que iriam vivenciar naquela tarde especial. Itens pessoais de Andre Matos estavam expostos, como seu cinto usado nos shows do Viper na turnê de Soldiers of Sunrise em 1987, além de fotos raras, camisetas usadas no Rockgol da MTV e a famosa escaleta, instrumento que o Maestro usava especialmente em apresentações acústicas desde sua época no Angra até a carreira solo.

Com o público já ambientado, os anfitriões do evento, Anderson Bellini e Eco Moliterno (primo do Andre Matos), subiram ao palco para explicar sobre o filme, ressaltando que não era o corte final, mas uma edição primária que precisava ser tratada, mas que nem por isso estaria com uma qualidade ruim. Como disseram, “estavam mantendo o padrão de qualidade Andre Matos”. O filme foi exibido num baita telão de alta definição, garantindo uma experiência incrível para quem veria a première do segundo episódio, focando na fase Angra.

Como foi explicado, o filme não estava finalizado e a parte burocrática de registro não estava terminada. Logo, as imagens/áudio não poderiam ser vazados. Devido a isso, não foi permitido filmar e nem fotografar essa parte do evento. No entanto, apesar dos avisos, houve um incidente com uma pessoa filmando, mas logo a situação foi resolvida. Sem dar muitos spoilers, essa primeira hora de filme começa com Andre Matos saindo do Viper, entrando na faculdade e encontrando o Andre Bastos e Rafael Bittencourt. A partir daí, a formação do Angra que, ao contrário do que alguns críticos falam, aconteceu de forma bem natural.

A gravadora JVC do Japão tinha interesse em que Andre Matos continuasse, já que Theatre of Fate do Viper foi um sucesso nas terras nipônicas. Isso acabou impulsionando o projeto. O impacto que a apresentação do Judas Priest na turnê de Painkiller no Rock in Rio em 1991 teve em Andre, que estava lá mais pelo Queensrÿche, também foi comentada pelo Maestro. Inclusive, Rob Halford aparece no documentário comentando sobre esse show.

Os relatos mostram que o Angra estava determinado em fazer acontecer – os ensaios eram diários, como se fossem um dia de trabalho. Mas nem tudo são flores, já que antes mesmo da demo Reaching Horizons, alguns membros saem da banda e tudo fica mais tenso na hora de gravar Angels Cry na Alemanha. As gravações foram conturbadas devido ao alto grau de exigência dos produtores alemães. O primeiro problema foi Marco Antunes, baterista da época, que não conseguia tocar com dois bumbos e foi dispensado logo de cara. Inventaram que ele tinha quebrado o braço. Depois as guitarras, Rafael não conseguia tocar no “padrão alemão” e acabou sendo salvo por Kiko Loureiro.

O segundo episódio do documentário termina com a banda voltando ao Brasil após as gravações de Angels Cry (1993) com uma nova mentalidade. O padrão de exigência ficou maior e acabou pautando os músicos de metal da cena brasileira a partir de então. O documentário não poupa detalhes, não romantiza nenhum lado, mostra os fatos e deixa para que o público os julgue. No trecho exibido, o baixista Luis Mariutti não aparece em nenhum momento. Aliás, ninguém do Angra esteve presente no evento.

Logo após a exibição, Anderson e Eco voltaram ao palco mais uma vez para enfatizar que o filme não está finalizado e ainda seria tratado. E, claro, que ainda teria um longo trecho a ser adicionado já que, segundo o diretor, esse episódio sobre o Angra talvez seja o maior das quatro partes pelos detalhes e conflitos ocorridos durante aquele período. Anderson explicou que o filme ainda não foi lançado porque eles estão aguardando que Bruce Dickinson participe do documentário, que está previsto para ser lançado em março/abril de 2023.

Dando sequência ao evento, chegava a hora do show “Alive”, que se concentrou nas músicas da carreira solo de Matos. Esta foi uma apresentação especial, já que contava com Andre Matos e Andre “Zaza” Hernandes no telão e a banda, com a Hugo Mariutti na guitarra, Alex Christopher na bateria, Renan Cardoso no baixo e Diego Rocha nos teclados, todos da banda Here I Am, tributo oficial do Andre Matos. Além disso, os fãs testemunharam algo único e raro, pois as músicas só foram executadas neste evento. Assim, o set começou com Rio, de Time To Be Free (2007). Para a segunda, Rodrigo Silveira (ex-baterista da banda solo) foi escalado para I Will Return, de Mentalize (2009), junto com Roney Araújo, da Here I Am. Alex voltou para executar Letting Go.

As duas últimas do set contaram com a presença de Rafael Rosa na bateria e Hugo Mariutti de volta a guitarra junto com o Renan, além de Matos e Zaza. Ou seja, 80 % da formação que gravou aqueles sons. Começaram com a faixa-título, Time To Be Free, que tem vários climas e um belo solo de Hugo no meio, seguido de um dueto do Zaza com teclado. Para fechar em alta veio Endeavour, que conta com várias passagens, refrão marcante junto com um solo maravilhoso de Hugo. Ao final, cada integrante da banda foi se despedindo, um a um, até restar Andre tocando sozinho no telão. A emoção tomou conta dos presentes, que puderam reviver de maneira única aquele momento tão intenso e mágico. Sob aplausos, alguém grita: “Andre Matos vive!”

Anderson Bellini então voltou ao palco para agradecer a presença de todos e dizer que fariam pequena uma pausa. Uns 10 minutos para se recompor e a banda Here I Am, tributo oficial formado pelo Eric Bruce (vocal), Roney Araújo (guitarra), Renan Cardoso (baixo), Alex Christopher (bateria) e Diego Rocha (teclados) voltaria ao palco para desfilar um repertório baseado na fase Andre no Angra.

Os músicos já iniciam com o clássico Nothing To Say, fazendo o público participar no refrão. Eric Bruce fala que é uma grande satisfação participar desta celebração e anuncia a participação de Bruno Sutter em Angels Cry. Bruno diz que Andre Matos transcendeu, é uma lenda. Uma noite de muitas emoções e chega a hora de Time.

Deram seqüência com Wings of Reality e a inesperada Wuthering Heights. O destaque fica para os vocais competentes do Eric Bruce, que interpretou de maneira bem fiel ao original arrancando muitos aplausos. Voltaram com uma porrada, Streets of Torromorow mostrando a competência da banda na execução. Com a festa rolando, Eric convida Rafael Rosa para a bateria e Anderson Bellini no baixo para tocarem de forma emocionante Lisbon. Mais uma surpresa veio com Living For The Night, clássico absoluto do Viper, com a participação do Jacques Dupon (CEO da School of Rock Alphaville) no baixo. Foi bonito ver todo mundo cantando uma música que foi eternizada pelo nosso Maestro. E, claro, não podia faltar Carry On para fechar com chave de ouro esta celebração maravilhosa ao Maestro Andre Matos.

Foram quase cinco horas de evento, que contou com a presença de Daniel Matos (irmão), Helena Matos (irmã) e Eco Moliterno (primo), a exibição do documentário e shows que passaram por duas fases da carreira de Matos. No show Alive, as pessoas viam Andre cantando pelo telão… Claro, bate a saudade, é inevitável, pois o cara deixou um vazio que jamais será preenchido. Com a banda Here I Am, as pessoas estavam mais eufóricas, celebrando a vida do artista. Enfim, um evento emocionante e inesquecível para os fãs que mantêm viva a memória do Maestro do Rock. ANDRE MATOS VIVE!

Exibição do Episódio 2 – Angra ( 1 hora)

Andre Matos Alive setlist

01) Rio

02) I Will Return

03) Letting Go

04) Time To Be Free

05) Endeavour

 

 

Here I Am setlist

01) Nothing To Say

02) Angels Cry

03) Time

04) Wings of Reality

06) Wuthering Heights

07) Streets of Tomorrow

08) Lisbon

09) Living For The Night

10) Carry On

A ROADIE CREW agora tem um canal no Telegram!

Participe para receber e debater as principais notícias do mundo do metal

https://t.me/roadiecrew 

Recomendamos Para Você

Fechar
Fechar