fbpx
Previous slide
Next slide
Previous slide
Next slide

ANDREAS KISSER – 8 de junho de 2019, Rio Montreux Jazz Festival

Texto e fotos: Alexandre Cavalcanti

A noite de sábado estava em silêncio em frete ao palco Ary Barroso, no Rio Montreux Jazz Festival. O público, que esperava pelo show de Andreas Kisser e seus convidados, comentava em tom baixo e incrédulo o precoce falecimento do grande vocalista Andre Matos (Viper, Angra e Shaman), vítima de um ataque cardíaco naquela manhã, aos 47 anos. E foi basicamente assim que Andreas e banda – Yohan Kisser e Márcio Sanches (guitarra e violão), Luis Mariutti (baixo) e Eloy Casagrande (bateria) – entraram em cena para o espetáculo Instrumental Acoustic Metal: em silêncio, mas sob aplausos. Mas logo começou o show, a galera passou a agitar, uma vez que o quinteto mandou de cara “Entre Sandman”, do Metallica, cantada por todos.

Andreas Kisser

Em seguida, foi a vez de Yohan, filho de Andreas, caso alguém ainda não saiba, mandar muito bem em “War Pigs”, do Black Sabbath. O público respondeu à altura, mais uma vez, o que voltou a acontecer quando Sanches mandou “Black Dog”, do Led Zeppelin, e fez a galera pular e cantar. Antes de começar a parte considerada um desafio, o de tocar clássicos de bandas mais pesadas, Andreas fez uma homenagem a Andre Matos, dedicando o show ao amigo e, em suas próprias e verdadeiras palavras, “um dos pioneiros do heavy metal no Brasil”. “The show must go on”, disse o guitarrista do Sepultura, e Yohan deu sequência ao tributo com “Walk”, do Pantera.

Yohan Kisser

E se era peso que tinha de ser despejado na plateia, “Roots Bloody Roots”, de vocês-sabem-de-quem, levantou ainda mais os ânimos, enquanto “Symphony of Destruction”, do Megadeth, fez o público ir ao delírio. Para dar uma relaxada no meio do show, Andreas e Yohan empunharam os violões fizeram uma linda homenagem ao mestre Tony Iommi, o “pai do heavy metal”, como bem lembrou Andreas. Com arranjos de Yohan, o excelente medley “Homage to Iommi” apresentou peças acústicas do guitarrista do Black Sabbath e trechos de clássicos da banda inglesa, como “Planet Caravan”, “Children of the Sea” e “Children of the Grave”.

Luis Mariutti

O clima voltou a esquentar com “No More Tears”, de Ozzy Osbourne, na qual Andreas fez até a guitarra chorar, seguido pelo filho agitando com “Big City Nights”, do Scorpions – curiosamente, o clássico do Madman é um dos covers que Mariutti tocou com Matos quando ambos eram do Shaman, na primeira encarnação do grupo, e o baixista formou com Casagrande a cozinha nos primeiros anos da banda solo do saudoso vocalista. Antes do encerramento, Andreas apresentou os músicos e, para fechar de vez a noite, colocou todo mundo para cantar “Fear of the Dark”, do Iron Maiden. E com aquele gostinho de queremos mais, apesar dos pedidos de todos por um bis, a apresentação acabou ali. Embora tenha sido curta e num momento de muita tristeza para o heavy metal, Andreas e seus convidados levaram alegria e euforia aos presentes.

Eloy Casagrande

Setlist
Enter Sandman
War Pigs
Black Dog
Walk
Roots Bloody Roots
Symphony of Destruction
Homage to Iommi
No More Tears
Big City Nights
Fear of the Dark

Márcio Sanches

Andreas Kisser

Compartilhe:
Follow by Email
Facebook
Twitter
Youtube
Youtube
Instagram
Whatsapp
LinkedIn
Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS

EXCLUSIVAS

ROADIE CREW #278
Janeiro/Fevereiro

SIGA-NOS

43,2k

57k

17,4k

1k

22,3k

Escute todos os PodCats no

PODCAST

ROADIE SHOP

SIGA-NOS

Cadastre-se em nossa NewsLetter

Receba nossas novidades e promoções no seu e-mail

Copyright 2024 © All rights Reserved. Design by Diego Lopes