fbpx
Previous slide
Next slide
Previous slide
Next slide

DIRE STRAITS LEGACY – 7 de abril de 2019, Rio de Janeiro/RJ

Por Marcelo Vieira
Fotos: Daniel Croce

“Nossa, como ele está diferente”, comenta com espanto a mulher ao meu lado quando Marco Caviglia, não Mark Knopfler, lidera o Dire Straits Legacy rumo à frente do palco e ao que parecia ser um mar de smartphones com lanternas acesas e câmeras a postos para registrar os primeiros movimentos do espetáculo. Todo esse pacote diz muito a respeito do público que tornou praticamente intransitável o Vivo Rio numa noite de domingo quando o DSL, ou o Dire Straits possível, como eu gosto de chamar, fez sua estreia em solo carioca.

Dire Straits Legacy

Homens de camisa social, mulheres de vestido e até as crianças pareciam saídas de um catálogo da Brooksfield. Indumentárias mais condizentes com um baile de debutante que com um show de rock – ainda que esse rock tenha lá seus contornos de pop e seja intrinsecamente associado a uma suposta elite sapatênis/gola rolê. Os poucos que visível e visualmente estavam lá pela música eram os párias em meio à maior festa da firma dos últimos tempos. Um vaivém ininterrupto de cervejas e drinques; inúmeras pausas para selfies e stories; alguns tropeções; e comportamentos típicos de quem vai a shows uma vez na vida outra na morte.

Dire Straits Legacy

Mas falando do que interessa, para dar conta daquilo que o Dire Straits em seu auge fazia com cinco, o DSL precisa de oito, incluindo dois guitarristas – Caviglia e Phil Palmer, oriundo da derradeira formação do Dire (1990-1992) – dividindo ao meio o que o genial Knopfler tocava com uma tranquilidade inquietante. A formação inclui ainda o batera Steve Ferroni (Tom Petty and the Heartbreakers), o baixista e produtor Trevor Horn (Yes, The Buggles), o tecladista multiuso Primiano DiBiase e outros três músicos que fizeram história no Straits original: Jack Sonni (violão), Mel Collins (sax) e Alan Clark (teclados).

Dire Straits Legacy

O pontapé inicial foi dado, mas nem tanto, com “Private Investigations”. Apesar da fidelidade à gravação original – feche os olhos e ouça Caviglia cantar como Knopfler –, não foi a melhor escolha para abrir a noite. Felizmente, “Walk of Life”, logo na sequência, fez a galera engolir o bocejo e ativar o modo palminhas. Na extensa “Tunnel of Love”, notou-se a disparidade entre o semblante sereno e a mão pesada de Ferroni. Também de “Making Movies” (1980), a belíssima “Romeo and Juliet” foi exibida com marcação de tempo mais acentuada e um final freestyle que incluiu um mini chamada-e-resposta entre Collins e Caviglia.

Dire Straits Legacy

A ausência de resposta para as menos festejadas “Down to the Waterline” e “Solid Rock” foi compensada com uma gritaria digna de programa de auditório quando as primeiras notas de “Your Latest Trick” pareceram abrir o baú de memórias e marejar de lágrimas os olhos de quem, até então, parecia estar mais em sintonia com a fila do bar do que com o que rolava no palco. Com Horn ao microfone, “Owner of a Lonely Heart” pegou a todos de surpresa. Tocada dois tons e meio abaixo, a canção-símbolo da fase mais comercial do Yes adquiriu ares guturais de tão grave, mas as luzes à la disco proporcionaram o clima ideal para dançar coladinho – ainda que com a bebida em mãos.

Dire Straits Legacy

Como um trem desgovernado em meio a uma tempestade de raios, “Telegraph Road” abriu alas para a suprema “Sultans of Swing”, executada conforme a clássica versão do ao vivo “Alchemy” (1984), com o fim convertido numa extasiante jam. Sem gastar muita saliva – nada mais europeu que ser econômico nos blá-blá-blás com o público –, o DSL deixa o palco e, como se não estivessem faltando três clássicos óbvios – “Brothers in Arms”, “Money for Nothing” e “So Far Away”, a trinca do bis –, nota-se uma movimentação digna de fim de show na plateia. Calma aí, gente! Fica que vai ter mais!

Dire Straits Legacy

Setlist
1. Private Investigations
2. Walk of Life
3. Down to the Waterline
4. Tunnel of Love
5. Jesus Street
6. Romeo and Juliet
7. Solid Rock
8. Your Latest Trick
9. Owner of a Lonely Heart
10. Telegraph Road
11. Sultans of Swing
Bis
12. Brothers in Arms
13. Money for Nothing
14. So Far Away

Dire Straits Legacy

Dire Straits Legacy

Compartilhe:
Follow by Email
Facebook
Twitter
Youtube
Youtube
Instagram
Whatsapp
LinkedIn
Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS

EXCLUSIVAS

ROADIE CREW #279
Março/Abril

SIGA-NOS

45k

57k

17,3k

989

22,6k

Escute todos os PodCats no

PODCAST

ROADIE SHOP

SIGA-NOS

Cadastre-se em nossa NewsLetter

Receba nossas novidades e promoções no seu e-mail

Copyright 2024 © All rights Reserved. Design by Diego Lopes

plugins premium WordPress