fbpx
Previous slide
Next slide
Previous slide
Next slide

Em sua turnê de despedida, SLAYER começa a caça ao merchandise pirata

De acordo com o Northern California Record, a empresa responsável pelo merchandising do SLAYER entrou com uma ação para obter uma ordem judicial que pode ser usada para delegar agentes federais e autorizar policiais locais e estaduais contratados pela empresa a apreender camisetas e outros itens de merchandise piratas durante a turnê de despedida da banda.

A Global Merchandising apresentou a denúncia por violação de marca registrada e concorrência desleal contra vários réus não identificados, descritos na denúncia como “numerosos vendedores independentes não licenciados e empresas de fabricação e distribuição”. Os acusados estavam, de acordo com a denúncia, “vendendo ou mantendo para venda, fora e dentro dos limites das salas de concerto nas quais o SLAYER está se apresentando, antes, durante ou depois das apresentações do SLAYER“.

A denúncia constatou que “mais de US $ 25 milhões (25 milhões de dólares americanos) em mercadorias licenciadas contendo o nome, marca registrada, logotipos e/ou itens semelhantes do SLAYER foram vendidos” até o momento.

Em agosto de 2010, a Live Nation entrou com uma ação contra vários “John Does”  antes do Ozzfest daquele mês em Devore, Califórnia. (“John Doe” é um termo usado em ações judiciais para identificar indivíduos cujos nomes reais ainda não são conhecidos.) A Live Nation estava tentando obter uma ordem judicial para que autoridades federais e locais apreendessem e confiscassem equipamentos que infringem marcas registradas no festival itinerante de OZZY OSBOURNE. O AC/DC registrou um processo semelhante antes da turnê de 2016 nos EUA.

Em janeiro passado, o SLAYER anunciou que faria uma última turnê ao redor do mundo para agradecer aos fãs por todo seu apoio ao longo dos anos, por fazer as últimas três décadas e meia repletas de bons momentos e experiências inesquecíveis.

Tom Araya tem sido bastante enfático nos últimos anos sobre seu crescente desgosto pelo estilo de vida em turnê e seu desejo de passar mais tempo com sua esposa e filhos em casa. “Chegou uma época em que eu me tornei um homem de família e tive dificuldades para ir e voltar”, disse ele em uma entrevista em 2016. “E agora, neste estágio, no nível em que estamos agora, eu posso fazer isso; posso voar para casa quando quiser, em dias de folga, e passar algum tempo com minha família, o que é algo que eu não era capaz de fazer quando [meus filhos] estavam crescendo. Agora eles estão mais velhos e maduros. Então agora eu aproveito isso”. Araya acrescentou: “Sim, fica cada vez mais difícil voltar para a estrada.”

Em fevereiro, a esposa de Kerry King, Ayesha, disse que os fãs “sempre terão a música dele”, mesmo depois que o SLAYER chegar ao fim.

King disse em entrevistas anteriores que seus trabalhos musicais pós-SLAYER não seriam muito diferentes daquilo que os fãs se acostumaram a ouvir dele.

Edições avulsas, assinatura física e digital.

Conheça a nossa Roadie Crew Shop – acesse https://roadiecrew.com.br/roadie-shop

 

Compartilhe:
Follow by Email
Facebook
Twitter
Youtube
Youtube
Instagram
Whatsapp
LinkedIn
Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS

EXCLUSIVAS

ROADIE CREW #279
Março/Abril

SIGA-NOS

44,9k

57k

17,3k

99o

22,6k

Escute todos os PodCats no

PODCAST

ROADIE SHOP

SIGA-NOS

Cadastre-se em nossa NewsLetter

Receba nossas novidades e promoções no seu e-mail

Copyright 2024 © All rights Reserved. Design by Diego Lopes

plugins premium WordPress