fbpx
Live EvilRoadie News
Tendência

GBH – São Paulo (SP)

Fabrique Club – 27 de novembro de 2022

Por Marcelo Gomes

Fotos: Roberto Sant’Anna

No último domingo, 27 de novembro, a cidade de São Paulo recebeu o G.B.H., uma das grandes referências do punk e hardcore inglês para um show único e exclusivo no Fabrique Club, que contou com abertura a cargo do Ratones, capitaneado por Jão, guitarrista do Ratos de Porão, e completado na ocasião por Gustavo Andrade (vocal, Dry Dogs), Eduardo Trugillo (baixo, Dry Dogs e Leather n’ Heels) e Thiago Coiote (bateria, Dry Dogs e Sauninha de Colômbia). No repertório, versões de RxDxPx na pegada mais ‘old school’ e Ramones clássico. “O Ratones é uma união de amigos para diversão e quando convidaram a gente para fazer a abertura do GBH ficamos muito contentes. Garanto que vai ser divertido. Já pude ver GBH ao vivo algumas vezes e eles tocam todos os clássicos da vida, que não são poucos. Será uma festa bem legal!”, comentou Jão.

Às 19h15, o Ratones, liderado por Jão, guitarrista do Ratos de Porão, e completado na ocasião por Gustavo Andrade (vocal, Dry Dogs), Eduardo Trugillo (baixo, Dry Dogs e Leather n’ Heels) e Thiago Coiote (bateria, Dry Dogs e Sauninha de Colômbia), entrou em cena. O vocalista Gustavo Andrade começou o show vestido a caráter, isto é, vestido de Joey Ramone com peruca preta e jaqueta de couro. Assim, eles mandaram de cara uma trinca dos Ramones, com Cretin Hop, Rockaway Beach e Here Today, Gone Tomorrow, não deixando ninguém ficar parado. O clima era de festa e a próxima trinca não deixou para menos, com a sequência RxDxPx de Morte Ao Rei, o hino Crucificados Pelo Sistema e Beber Até Morrer, que teve seu refrão cantado por todos. Depois, com aquela contagem clássica dos Ramones, tocaram o hino Blitzkrieg Bop e Beat on the Brat.

Antes de anunciar a próxima, Gustavo diz que Jão fala que uma das coisas mais fodas que tem é “ter cabeça de adolescente num corpo de velho” e, então, tocaram Teenage Lobotomy. Para o público a festa estava garantida, afinal tocar Ramones e clássicos do RDP é sempre jogo ganho. Assim, foram intercalando até o fim e aí era hora de mais Ratos com Máquina Militar, Aids, Pop, Repressão e Sofrer.

O show estava chegando ao fim, mas não podia faltar Sheena Is a Punk Rocker, abrindo aquela bela roda na pista. Os músicos esboçaram uma saída do palco, mas colocaram mesmo todo mundo para “dançar” ao som de Do You Wanna Dance e encerraram o set com o famoso cover do The Trashmen, Surfin’ Bird. No meio dela, por sinal, aproveitaram para apresentar a banda. Com 40 minutos de show, um som bom, mandaram clássicos das duas bandas de forma despretensiosa, mas funcionou bem para agitar o público que chegou mais cedo.

Os presentes nem precisaram esperar muito para ver a atração principal da noite, pois em 10 minutos as cortinas se abriram com Colin Abrahall (vocal), Colin “Jock” Blyth (guitarra), Ross Loma (baixo) e Scott Preece (bateria) no palco, todos prontos para desfilar os petardos da carreira. Iniciaram com a porrada Birmingham Smiles, do trabalho mais recente, Momentum (2017) mostrando que não perderam a essência. A brincadeira ficou séria com a sequência dos clássicos Time Bomb e Sick Boy. A explosão dos fãs e as rodas na frente do palco foram imediatas. A banda não estava para conversa e aí mandaram Slit Your Own Throat e Am I Dead Yet? sem anúncio e sem deixar a roda parar.

Então, chegou a hora do vocalista Colin Abrahall dizer: ‘Oi. Como vocês estão?’. Com a resposta positiva do público, o GBH, comemorando 40 anos do maior clássico, City Baby Attacked By Rats (1982), tocou uma sequência matadora de 8 faixas do álbum, começando com rápida Wardogs e Maniac, que teve o refrão gritado de forma inconfundível por Colin Abrahall, seguidas por Gunned Down, que tem um baita riff de guitarra de Collin Jock logo de início. Depois, continuaram com I Am the Hunted, The Prayer of a Realist, Heavy Discipline, Boston Babies, fechando esta parte com a sensacional Bellend Bop.

Porém, o repertório do show não focou só nos clássicos, já que a seguinte, I Never Asked For Any Of This, de Momentum (2017), a qual Abrahall dedicou aos amigos do Ratones e a todos já tiveram uma banda. O público, ainda que não lotando as dependências da casa, não parava de agitar na pista e decidiu subir no palco em Generals. Alguns chegaram a dividir os vocais com Colin Abrahall, que pareceu bem à vontade com os fãs bem próximos a ele.

O vocalista dedicou No Survivors ao povo ucraniano e mandou o Presidente russo Putin “se foder”. Os fãs que subiam no palco estavam tão à vontade que chegaram a fazer selfies com os integrantes no meio da música. Nem mesmo com mais duas “novas”, Fifthy What e Momentum, eles pararam de agitar.

O show estava caminhando para o final, mas ainda teve tempo para as clássicas Give Me Fire, City Baby Attacked By Rats, que teve um fã cantando parte da música, e City Babys Revenge, com vários fãs subindo no palco e fazendo stage diving. O bis contou com Liquid Paradise, mais uma de Momentum e a mais longa do set, com uma levada meio ska. O fechamento veio com um clássico do Motörhead, Bomber.

Quem teve a feliz ideia de ir ao show pôde ver algo raro hoje em dia. Som orgânico, ‘old school’ e com muita atitude das duas bandas. Quase um plug and play sem enrolação e direto ao ponto. Se o Ratones agradou com os clássicos dos Ramones e Ratos de Porão, o GBH, sem aviso e de surpresa, presenteou a todos tocando City Baby Attacked By Rats quase na íntegra – faltou somente a faixa Slut. As músicas que já têm quatro décadas, mas envelheceram bem e ainda soam atuais, mesmo porque a banda continua com uma performance com muita energia e atitude. Quem foi ao Fabrique Club neste evento da KLF Productions saiu de alma lavada e testemunhou uma noite histórica punk rock e hardcore.

Ratones – Setlist:

01) Cretin Hop (Ramones)

02) Rockaway Beach (Ramones)

03) Here Today, Gone Tomorrow (Ramones)

04) Morte Ao Rei (Ratos de Porão)

05) Crucificados Pelo Sistema (Ratos de Porão)

06) Beber Até Morrer (Ratos de Porão)

07) Blitzkrieg Bop (Ramones)

08) Beat on the Brat (Ramones)

09) Teenage Lobotomy (Ramones)

10) Máquina Militar (Ratos de Porão)

11) Aids, Pop, Repressão (Ratos de Porão)

12) Sofrer (Ratos de Porão)

13) Sheena Is A Punk Rocker (Ramones)

14) Do You Wanna Dance (Ramones)

15) Surfin’ Bird (Ramones – The Trashmen)

GBH – Setlist:

01) Birmigham Smiles

02) Time Bomb

03) Sick Boy

04) Slit Your Own Throat

05) Am I Dead Yet?

06) Warddogs

07) Maniac

08) Gunned Down

09) I Am Hunted

10) The Prayer of a Realist

11) Passenger on the Menu

12) Heavy Discipline

13) Boston Babies

14) Bellend Bop

15) I Never Asked For Any of This

16) Generals

17) No Survivors

18) Fifty What

19) Momentum

20) Give Me Fire

21) City Baby Attacked By Rats

22) City Babys Revenge

23) Liquid Paradise (The Epic)

24) Bomber (Motörhead)

A ROADIE CREW agora tem um canal no Telegram!

Participe para receber e debater as principais notícias do mundo do metal

https://t.me/roadiecrew

Recomendamos Para Você

Fechar
Fechar