fbpx
Previous slide
Next slide
Previous slide
Next slide

I AM MORBID – São Paulo (SP)

19 de outubro de 2023 - Fabrique Club

Por Samuel Souza
Fotos: Dani Moreira

Uma noite de quinta-feira (19) preguiçosa, devido à queda de temperatura, não intimidou um bom número de headbangers que compareceram ao Fabrique Club para acompanhar a matadora passagem do I Am Morbid por São Paulo, mesmo com um significativo atraso para começar, mesmo sem ter banda de abertura. As informações que chegaram foram que a mesa de som deu problema e a equipe técnica teve que se desdobrar para trocar e fazer todas as correções novamente da passagem de som.

O quarteto formado pelos lendários David Vincent (vocal e baixo) e Pete “Commando” Sandoval (bateria), ao lado do brasileiro Bill Hudson (radicado nos Estados Unidos há anos) e Richie Brown nas guitarras, entregou uma performance de alto nível. Tocando juntos há quase um ano, esta apresentação foi muito superior à de 2022. Aqui, mais entrosados, vale destacar de imediato o desempenho invejável de Sandoval, que, aos 59 anos, este Cthulhu dos tambores infernais, outorgou brutalmente seu próprio legado como um dos pioneiros e mestre do estilo.

Ao iniciar os primeiros riffs de “Immortal Rites”, o público já respondeu entusiasticamente. Sem trégua, “Fall From Grace” e “Visions from the Dark Side” funcionaram como fios descascados que eletrizaram todo o ambiente. Vincent, antes de começar “Blessed Are the Sick”, demonstrou ânimo ao se comunicar com a plateia e até “corrigiu” a turma, pedindo para substituir os gritos de “I Am Morbid, I Am Morbid, I Am Morbid” por “MorPete, MorPete, MorPete”, em homenagem ao seu parceiro de jornada subterrânea.

Celebrando 30 anos desde seu lançamento, o álbum “Rapture” é um daqueles feitos que já nasceram clássicos. O ano era 1993, e suas músicas tiveram uma difusão enorme no mundo para o Death Metal, com clipes na MTV e trilha sonora do filme “A Noite dos Demônios 2”. E sim, ouvir essas canções ao vivo de forma tão coesa foi arrebatador. Iniciando a sequência com a impagável faixa-título e seus riffs intensos, a magia negra do Metal da Morte exalou um gosto de enxofre por meio de “Pain Divine”, “Vengeance Is Mine”, “The Lion’s Den” e “Sworn to the Black”.

Prestando muita atenção em como foram impecavelmente executadas, chega-se à conclusão de que Trey Azagthoth não estava para brincadeira, tanto na composição quanto na entrega de um nível musical fora da curva, lá nos primórdios da coisa toda. E com isso, reafirmamos também que a dupla de guitarristas aqui foi meticulosa em honrar essas pérolas com tamanha qualidade técnica. Bill e Richie estavam se divertindo, com sorrisos no rosto, tiveram seus momentos únicos no palco e toda aquela execução de riffs e solos dissonantes e precisos, que para eles pareciam fichinhas. Bill também aproveitou para agradecer à presença do público e expressar sua satisfação em tocar no Brasil mais uma vez. Ele que passou por aqui com a Metal Queen, Doro, em abril último, no Monsters of Rock.

Antes de fechar a tampa do caixão de “Covenant”, o quarto álbum também foi lembrado com, claro, “Domination” e “Where the Slime Live”, músicas essas costumeiramente tocadas, o que poderia abrir espaço para outras tantas. De qualquer forma, o I Am Morbid soube dosar bem a revisão em uma discografia rica e sobretudo, parte integrante da playlist há muito tempo daqueles que estavam presentes, tendo em vista que a audiência estava ensandecida. E do disco celebrado, “Blood on My Hands” costurou a inolvidável “God of Emptiness”, respondida em uníssono, e encerram com “World of Shit (The Promised Land)”, somando forças ao lado B essencial e muitas vezes esquecido. Um fato é que, dificilmente ouviremos essas “canções esquecidas” novamente.

Com uma qualidade sonora primorosa e releituras dignas, o I Am Morbid não é apenas um projeto de dois senhores com supostos dissabores com o passado, profissionalmente falando, estão cumprindo o serviço com hora-extra. Não se assuste que no futuro breve, possam lançar algo autoral, apesar de eles passarem por aqui novamente em 2025, celebrando os 30 anos de “Domination”. Faça suas apostas!

Compartilhe:
Follow by Email
Facebook
Twitter
Youtube
Youtube
Instagram
Whatsapp
LinkedIn
Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS

EXCLUSIVAS

ROADIE CREW #276
Setembro/Outubro

SIGA-NOS

40,1k

56k

17,3k

739

20,8k

Escute todos os PodCats no

PODCAST

ROADIE SHOP

SIGA-NOS

Cadastre-se em nossa NewsLetter

Receba nossas novidades e promoções no seu e-mail

Copyright 2023 © All rights Reserved. Design by Diego Lopes