fbpx
Live Evil

NoWrong / Furia Inc. / Necromesis / Nervosa

Inferno Club - São Paulo (SP), 27 de Julho de 2014

São Paulo, 27 de julho, dia de um dos maiores clássicos do futebol brasileiro (Corinthians X Palmeiras) e também o dia mais frio do ano até então. Para muitos, estes fatores tornavam o dia pouco favorável para um show de Metal Extremo. Errado. Neste mesmo domingo, quatro grandes nomes do Metal paulista se apresentaram na cidade: Nervosa, Necromesis (lançando clipe), Furia Inc. e NoWrong.  Por volta das 16h já se podia ver uma grande aglomeração na frente do Inferno Club e minutos depois as portas da casa se abriram e o público pôde entrar e se proteger do frio.

O primeiro show da noite ficou por conta da banda de Osasco, NoWrong. Com muito bom humor, Dio MadLock (vocalista/guitarrista) diz logo de cara: “Para quem nunca ouviu o nosso som, nós fazemos algo parecido com Legião Urbana, espero que vocês gostem”. O grupo, completado por Arth Castro (bateria), Rafael Bread (guitarra) e John Wolf (baixo),  apresentou músicas do recente álbum “Prognostic of a Great Disaster (2014)“. A influência de bandas como Metallica, Megadeth e Pantera fica bem clara em faixas como “The Morals”, “Taste The Hate“, “Fuck Yourself And Die“. Por outro lado, a influência do Hard Rock aparece em “Angels in Hell“, faixa do primeiro EP, lançado em 2011. Após a pesada “PsychoViolence (Proletarian)” a banda agradece e sai de cena ovacionada.

Àquela altura a casa já estava mais cheia e mais quente, difícil era ver alguém com agasalhos lá dentro. O público então começa a se aproximar do palco novamente, pois era hora do Furia Inc. A banda formada em 2005 pelos irmãos Neto e Gustavo Romão (guitarra e bateria, respectivamente), Victor Cutrale (vocal) e Bruno Nicolozzi (baixo), apresentou faixas de seu primeiro álbum, “Murder Nature (2014)“.

O grupo é claramente influenciado por nomes como Lamb Of God, Pantera e Hatebreed, e os destaques do set foram “ThereIs No God“, “At The Mountains Of Madness“, e “Pitchblack Downfall”. Vale ressaltar a grande presença de palco da banda, que a todo momento se movimentou e interagiu com os presentes –  na execução da faixa “Breaking The Silence“, Victor desceu até a pista para cantá-la junto com o público.  A banda encerrou sua apresentação com a brutal “Into The Mirror“.

Instantes depois chegava a hora da Necromesis entrar em cena. Para muitos, essa era a apresentação mais esperada do festival, pois se tratava do lançamento do primeiro clipe da banda com sua atual formação, que conta com, Daniel Curtolo (guitarra), Gil Oliveira (bateria), Gustavo Marabiza (baixo) e Mayara Puertas (vocal). A instrumental “Memories” começou a soar nos PA’s, ao seu fim, Mayara e Daniel sobem ao palco e apontam para o telão lateral onde o clipe de “Indefferent Echoes of Sensitivity” estava sendo exibido em alto e bom som.

O vídeo consiste em uma filmagem multiângulo da banda tocando em um pequeno galpão. Ao final do clipe, muito aplaudido por todos, mais uma Intro começa a soar nos PA’s. Então, com a faixa-título da primeira demo da banda lançada em 2009, “The Dark Works Of Art”, a Necromesis de fato entra em cena. Sem descanso, vieram “The Life Is Dead“, “Unlives as Undeads” e a brutal “Demonic Source”, mais uma da primeira Demo. Vale ressaltar a postura de palco da banda, com os integrantes se movimentando, trocando de posições (com exceção do baterista, obviamente) e fazendo um show frenético e dinâmico. Em alguns momentos Gil até se levantou de sua bateria e pediu a participação do público.  Mayara então anuncia “Condemned by Themselves” ,música inédita que nunca havia sido tocada ao vivo e que estará no futuro álbum da banda. Marabiza pega seu baixo fretless para esbanjar toda sua técnica e versatilidade.  Para finalizar, “Indifferent Echoes of Sensitivity”, na qual os vocais guturais de Mayara entram em contraste com os potentes guturais graves de Daniel. Ao final, a vocalista agradece a todas as bandas e especialmente ao público que compareceu mesmo com todas as adversidades.

Temos então a quarta e última banda da noite, a segunda com uma mulher assumindo os vocais, na verdade no caso da Nervosa são as mulheres que assumem tudo. O baixo e o vocal ficam por conta de Fernanda Lira, guitarra Prika Amaral e bateria Pitchu Ferraz. Após uma “intro”, elas já começam quebrando tudo com “Twisted Vallues “ .“Justice Be Done“ e “Invisible Oppression” que revisitou a primeira Demo da banda, lançada em 2012.

Na primeira pausa Fernanda agradece a presença de todos e instiga: “Quero ver todo mundo bangueando nessa porra“ para então anunciar “NastyInjury“, seguida de “Into Mosh Pit“,  a roda e os stagedives se tornaram algo comum a partir dessa faixa. Antes de anunciar o próximo som, a baixista e vocalista ressalta a importância de pessoas que curtem diferentes estilos dentro do Metal terem comparecido para apoiar as bandas. O show então segue com “Wake Up And Fight“, “Deep Misery“ e “Envious“ que foi oferecida ao vlogger Dewwytto, dono do canal de humor Planno D.

Na emenda temos “Time Of Death“. Prika então diz: “Está um puta frio lá fora e um puta calor aqui dentro, ou seja é o inferno“, o set segue com “Death” que contou com um pequeno solo de bateria de Pitchu, “Morbid Courage”, “Victim Of Yourself “, faixa-título do primeiro álbum da banda e “Urânio em Nós“ o único som da banda em português. A banda encerrou sua apresentação com a já clássica “Masked Betrayer“, faixa escolhida para o primeiro clipe e que projetou-as na cena do Metal mundial. Sem dúvida, a mais conhecida pelo público que cantou a letra inteira.

Todos os integrantes de todas as bandas foram muito carismáticos com o público o tempo todo e cumpriram seu dever de entretê-lo. Quando não estavam no palco estavam lá no meio da galera, tirando fotos, autografando e conversando. Também vale ressaltar a presença de muitos membros de outras bandas que foram lá prestigiar o evento. Mostrando que de fato, há uma galera unida pela cena do Metal no país.

 

 

Recomendamos Para Você

Veja Também
Fechar
Fechar
Fechar