fbpx
ArtigosRoadie News

O ‘ilustre desconhecido’ MARTI FREDERIKSEN

Produtor, compositor e multi-instrumentista, Frederiksen tocou com Jason Bonham, gravou com o Outlaw Blood e registrou os vocais do Stillwater, de "Quase Famosos" (2000)

O cinema geralmente brinda fãs de rock com bandas fictícias. Para provar, estão aí Spinal Tap e Still Dragon, do filme “Rockstar” (2001), que reuniu o guitarrista Zakk Wylde (Black Label Society, Ozzy Osbourne), o baixista Jeff Pilson (Dokken, Dio) e o baterista Jason Bonham. No entanto, uma figura não tão conhecida que tocou junto com o filho de John Bonham (Led Zeppelin) é Martin Harold “Marti” Frederiksen. Juntos, eles integraram um grupo chamado Motherland, que lançou o álbum “Peace 4 Me” (1994). Até aí, nada demais. É, mas o que nem todos sabem é que foi Frederiksen quem registrou os vocais da banda Stillwater, aquela fictícia de “Quase Famosos” (2000). Dirigido por Cameron Crowe, o filme ganhou o Oscar de “Melhor Roteiro Original”. “Um amigo meu me recomendou e, depois de fazer o teste com várias pessoas, consegui a vaga. Apenas fazer parte da história de Cameron foi incrível. Foi como estar em uma banda por um instante. Peter Frampton e Nancy Wilson tocaram guitarra, Mike McCready do Pearl Jam estava em algumas faixas. Eu não só estava em uma banda, mas em uma incrível”, recordou. “Cameron fez certo, essa é sua história. E Nancy Wilson realmente viveu naquela época”, completou Frederiksen.

Além disso, Frederiksen se firmou como um produtor e compositor de sucesso. A lista de trabalhos assinados por ele inclui Aerosmith, Def Leppard, Ozzy Osbourne, Mötley Crüe, Mick Jagger, Buckcherry, Sheryl Crow, Brother Cane, Pink e outros. “Dependendo de com quem você trabalha e com quem escreve, pode fazer praticamente tudo. Lembro-me de trabalhar com os Backstreet Boys um dia e Jerry Cantrell, do Alice in Chains, no outro”, declarou. “Para mim, é tudo uma questão de chegar lá, conversar com o artista, perguntar o que ele quer alcançar, observar, inspirar-se e depois começar a dedilhar, cantar e esperar que algo bom apareça. Eu sou apenas um compositor externo que quer ter músicas em discos. Tenho um monte de bons trabalhos sobrando em mim, com certeza, e muitos artistas com os quais adoraria trabalhar. Eu estaria disposto a tentar qualquer coisa com qualquer um. Em primeiro lugar, sou um colaborador e adoro isso”, acrescentou.

O “ilustre desconhecido” multi-instrumentista iniciou a trajetória no Drop In The Gray, sua primeira banda profissional, passou com sucesso pelo Brother Cane e gravou um disco de hard rock com o Outlaw Blood. O grupo contava com vocalista Marc McCoy (falecido em 2000), Rick Harchol (guitarras), Nick “The Hammer” Parise (baixo) e Larry Aberman (bateria), músicos que lançaram um único trabalho pela gravadora ATCO em 1991. McCoy, além de cantar, tocava baixo, guitarra e fez parte do Fantasy 7, que contava com Steve Jones (ex-Sex Pistols). Já o baterista Aberman, por sua vez, integrou o Dirty Looks e gravou “Your Filthy Little Mouth” (1994) com a banda solo do vocalista David Lee Roth (Van Halen). Produzido por Jeff Paris, o obscuro disco do Outlaw Blood tem tudo para agradar fãs de Bang Tango, Shark Island, Billy Idol, Def Leppard e The Cult. Tinha enorme potencial, mas, como tantos outros, não teve tempo para alçar voos mais altos. Sorte de Frederiksen…

Fotos Intro: Brandon Oustler

Recomendamos Para Você

Fechar
Fechar