fbpx
Live EvilRoadie News
Tendência

OXIGÊNIO FESTIVAL – São Paulo (SP)

Aeroclube do Campo de Marte - 18 de novembro de 2022

Por Marcelo Gomes

Fotos: Roberto Sant’Anna

O primeiro dia do Oxigênio Festival foi realizado no dia 18 de novembro (sexta-feira) no Aeroclube do Campo de Marte, em São Paulo. O lineup do festival trouxe o lendário Doyle (Misfits), além de Zumbis do Espaço, Corazones Muertos, Carbona e Excluídos. Além das bandas que se apresentaram em dois palcos, o evento tinha uma mini rampa de skate, espaços interativos, um camarote exclusivo para vips e food trucks.

Com meia hora de atraso, às 21h a banda Excluídos foi a primeira atração do dia no palco principal. Com um som punk rock cantado em português, a banda entregou uma performance com muita atitude e conseguiu agradar ao público. Na sequência, foi a vez dos Corazones Muertos no palco que podemos chamar de “secundário”. Apesar de ser menor, o público se deslocou para prestigiar a banda, que faz um punk rock, gypsy punk e glam rock cantado em inglês e tendo como referências nomes como Ramones, New York Dolls, Sex Pistols, Johnny Thunders, Turbonegro, The Clash, Hanoi Rocks e Rolling Stones. Formada pelo argentino Joe Klenner (vocal e guitarra), conta ainda com Guilherme Ziggy Mendonça (guitarra, Made in Brazil), Indio Of Spades (baixo) e Jeff Molina (bateria, ex-Neanderthal). O som estava ótimo e, além de autorais como Subway Boys, Only Way Out, Home Alone e Fly Away, incluíram I Fought The Law, famosa pela versão do The Clash, e Chinese Rock dos Ramones. “Tivemos a honra de participar no primeiro dia do Oxigênio Festival, organizado pelo Hangar 110 e a Gig Music Brasil. Desde a nossa chegada, nos chamou a atenção a estrutura do lugar, com dois palcos, bares, diferentes áreas pra se divertir e relaxar, e até pista de skate para lembrar que o evento era patrocinado pela VANS…. Incrível!”, comemorou Joe Klenner. “Tudo foi muito organizado e nunca tínhamos tocado num aeroporto. Em suma, o evento foi foda… Esperamos voltar!”, completou.

Uma das atrações mais esperadas da noite foi o Zumbis do Espaço, banda com mais de 20 anos de estrada e muito cultuada na cena underground. Com um som que mistura punk rock, metal, rockabilly de maneira única, eles fizeram um show contagiante e de tirar o fôlego. A banda formada pelo vocalista André Tor Tauil, Rafael Romanelli na guitarra, Luiz Tavares no baixo, agora conta com o baterista Guilherme Martin (Viper, Toyshop, ex-Megaton). No repertório, músicas como Zumbis do Espaço, Mato Por Prazer, Banho de Sangue, Vampira, O Mal Nunca Morre, entre outras que fizeram parte da apresentação. Com cerca de 40 minutos de show, o Zumbis conseguiu fazer com que o público não ficasse parado um minuto sequer. Durante todo o show, várias rodas foram abertas na pista e, sem dúvida, foi o que o público mais agitou na noite.

Hora de voltar ao palco secundário para ver o Carbona, que está comemorando 25 anos de carreira. O trio carioca formado por Henrique Badke (vocal e guitarra), Melvin Ribeiro (baixo) e Pedro Roberto (bateria) apresentou seu punk bubblegum, desfilando músicas de toda a sua história como Sopa, Lua, 43, O Mundo Sem Joey, Fliperama, Meu Primeiro All Star e outras. Não por acaso, lotaram o espaço e fizeram um show eletrizante!

Enfim chegara a hora de testemunhar a lenda do horror punk que fez sua estreia solo em São Paulo. Doyle não se apresentava Brasil desde 1998, quando tocou com o Misfits. Desta vez, veio promover sua turnê solo, “As We Die World Tour”. Com dois discos solos lançados, Abominator (2013) e As We Die (2017), Doyle, com sua tradicional maquiagem, subiu ao palco do Oxigênio Festival para encerrar a primeira noite do evento acompanhado do vocalista Alex Wolfman, do baixista Brandon Strate e do baterista Wade Murff. Os caras já entraram no palco sem camisa, sem introdução e começaram o set com a pesadíssima Abominator. Quem estava esperando algo na linha do Misfits tomou um susto, pois ela começa com uma levada doom bem ao estilo Sabbath e vai para uma parte rápida com pedal duplo enquanto Doyle espanca sua guitarra. Parece que o público ficou em choque e demorou um pouco para entender o que estava acontecendo.

Alex anunciou a próxima como uma canção de amor e seguem com a rápida Beast Like Me, de As We Die, seguida por Headhunter. O baixista Brandon começa o som, que é mais uma pancadaria assim como Cemetery Sexxx. Depois, tocaram mais uma de As We Die, a faixa Virgin Sacrifice, que é mais metal, com uns harmônicos no riff e uma levada mais cadenciada. Ao final, o baterista Wade Murff inicia um curto solo e consegue arrancar alguns aplausos. O que mais chegou próximo de um som do Misfits foi Dreaming Dead Girls, com melodias vocais que lembravam o clássico grupo americano. Mas ficou por aí, porque a próxima, Kiss Me As We Die, é outra pedrada de As We Die, que resgatou o metal com muita referência ao riff inicial da música Black Sabbath, assim como Valley of The Shadows, que deu início a um moshpit.

Alex aproveitou a pausa para apresentar a banda de maneira rápida, mas quando chegou o momento de falar sobre Doyle, o vocalista apresentou o guitarrista como Paul Stanley e tocaram um trechinho de Detroit Rock City.  Sem delongas, tocaram Witchcraft, Dark Gods Arise, We Belong Dead e Darkside, todas de As We Die. Esta parte do show foi encerrada com Mark of the Beast e Drawing Down The Moon. Para o bis, voltaram com Show No Mercy e Hope Hell Is Warm, encerrando um show que surpreendeu a todos. Acompanhado de uma banda incrível, fazendo um som mais metal sem perder atitude punk, Doyle fez a apresentação mais pesada da noite, chocando quem esperava algo na linha do Misfits. Certamente, o primeiro dia de Oxigênio Festival ficará na memória dos presentes.

Setlist – Corazones Muertos:

01) Subway Boys

02) Death / Glory

03) Only Way Out

04) Home Alone

05) Dead Stone Rock

06) I Fought the Law (The Clash)

07) Spikes / Dogs

08) Heart / Soul

09) Fly Away

10) No Mercy

11) Chinese Rocks (Ramones)

12) Don´t Kill Rock N Roll

Setlist – Zumbis do Espaço:

01) Zumbis do Espaço

02) Onde Os Fracos Não Tem Vez

03) O Lobisomem Que Sou Eu

04) Mato Por Prazer

05) Dia dos Mortos

06) Inspirado Pelo Cão

07) Banho de Sangue

08) Sua Última Oração

09) A Marca Dos 3 Noves

10) Espancar e Matar

11) O Congelante Toque Do Medo

12) Que Venham os Mortos

13) Vampira

14) Guardada Para Sempre

15) O Mal Nunca Morre

Setlist – Doyle:

01) Abominator

02) Beast like Me

03) Headhunter

04) Cemetery Sexxx

05) Virgin Sacrifice

06) Dreaming Dead Girls

07) Kiss Me As We Die

08) Valley of Shadows

09) Witchcraft

10) Dark Gods Arise

11) We Belong Dead

12) Darkside

13) Mark of the Beast

14) Drawing down The Moon

15) Show No Mercy

16) Hope Hell Is Warm

A ROADIE CREW agora tem um canal no Telegram!

Participe para receber e debater as principais notícias do mundo do metal

https://t.me/roadiecrew

Recomendamos Para Você

Veja Também
Fechar
Fechar
Fechar