fbpx
Live Evil

ROBERTINHO DE RECIFE E METALMANIA

Polo Rio Cine & Vídeo – Rio de Janeiro/RJ, 30 de julho de 2016

Desde o retorno com o Metalmania, há pouco mais de dois anos, que cada passo de Robertinho de Recife tem deixado um gostinho de quero mais. Começou com “Back For More”, lançado em 2014 no formato digital, e continuou no ano seguinte com a participação na dobradinha Accept/Judas Priest no Rio de Janeiro e, principalmente, num show especial e emocionante no Teatro Rival – que a ROADIE CREW acompanhou, então confira aqui. Houve também algumas aventuras fora da cidade olímpica, mas foram passos de bebê, digamos assim.

Por quê? Porque o pernambucano resolveu reformular a banda trazendo definitivamente de volta Lucky Leminski, o vocalista da primeira encarnação do Metalmania nos palcos. Isso já era suficiente para quem viveu Heavy Metal nacional nos anos 80 estampar um sorriso no rosto, mas a nova formação ganhou o baixo de Rob Khalil, filho de Robertinho, e o talento de Isa Nielsen (guitarra) e Jully Lee (bateria). Pronto, a curiosidade estava novamente atiçada, e o show do quinteto no Jungle Rock Fest, evento realizado no Polo Rio Cine & Vídeo, foi um novo passo para deixar os fãs com um, imagine o amigo leitor, gostinho de quero mais. Mas vamos por partes.

Apesar de alguns problemas no som – que incomodaram Robertinho e passaram a impressão de que Jully Lee estava tocando sem retorno, devido a alguns erros aqui a acolá –, a noite foi uma bela festa com direito até ao lançamento da Cerveja Metalmania. Paixão etílica à parte, lindos mesmo foram os dois atos que podem dividir a apresentação. De cara é preciso destacar o prazer de ouvir as músicas do clássico “Metalmania” (1984) espalhadas por todo o set list, a começar com “She’s An Animal” (versão em inglês de “Como Um Animal”), a poderosa “Fogo” e “Body And Soul” (“Corações e Pernas” versada para o idioma britânico). E ali no meio estava “Gata”, mas tomando o caminho inverso ao se vestir de “Wild Thing” imortalizada por Jimi Hendrix.

Para completar, tivemos os covers. “Cum On Feel The Noize” (Slade, mas também do Quiet Riot), “You’ve Got Another Thing Comin’” (Judas Priest), “Metal Daze” (Manowar) e “The Trooper” (Iron Maiden) cumpriram seu papel – se bem que a música da Donzela bem que agora poderia ganhar os solos de Dave Murray e Adrian Smith, afinal, Robertinho tem ao seu lado uma exímia guitarrista, e a química com Isa Nielsen no palco salta aos olhos. Foi bonito ver o pernambucano indo para o lado direito do palco para uma dobradinha com a loira, muitas vezes incentivando-a a largar o dedo.

E se os covers mencionados acima serviram para o público soltar a voz, outras três foram para aplaudir efusivamente. O Metalmania transformou “Black Night”, do Deep Purple, num Blues tão irresistível quanto a pesada versão de “Frevo Mulher”, de Zé Ramalho – ficou tão bom que merece uma gravação oficial. E no meio dessas duas joias rolou uma rendição sensacional de “Ace Of Spades”, com a homenagem sendo comandada com brilho por Rob Khalil, que assumiu o microfone literalmente à la Lemmy Kilmister: a disposição do pedestal era a mesma, e a voz do jovem baixista ficou espetacularmente parecida com a do saudoso ídolo.

Só isso valeu o ingresso de todos os presentes, e ainda teve a participação de Mazzeron na Rock’n’Roll “Anjos Perdidos”, do próprio músico gaúcho, e a ótima “Stupid Ballad”, que só reforçou o desejo de ver o Metalmania entrar logo em estúdio para gravar um novo trabalho de inéditas. Mas havia mais do prato principal, ou seja, outras três faixas de “Metalmania”. “Trem Fantasma”, um Hard Rock de primeira que fica ainda melhor ao vivo; “Fantasia Preto e Prata”, a irmã brasileira de “Eruption”; e o hino “Metalmania”, que ganhou outro patamar de emoção com Robertinho dividindo os vocais com o ótimo Lucky Leminski – como é bom ver esses dois juntos em cima do palco!

Tirada do álbum “Ah, Robertinho de Recife” (1983), “Vou-me Embora” fechou a noite em alto estilo para aqueles que resistiram e ficaram até o fim de um baita show de Heavy Metal. Sim, porque ainda surpreende perceber que algumas pessoas não entenderam onde está o coração de Robertinho – “Nós estamos fazendo barulho porque nós gostamos é de barulho”, disse o pernambucano durante a apresentação. E esse barulho agora precisa chegar ao público que de fato pode e precisa apreciá-lo, porque é um barulho feito pelo maior guitarrista do Brasil e que faz parte da formação do Metal nacional. Você acha pouco? Então não sabe o que está perdendo.

Set list
1. Litte Wish
2. Elefante (Intro)/She’s An Animal
3. Wild Thing
4. Fogo
5. Cum On Feel The Noize
6. Body And Soul
7. You’ve Got Another Thing Comin’
8. Trem Fantasma
9. Black Night
10. Stupid Ballad
11. Ace Of Spades
12. Fantasia Preto e Prata
13. Metal Daze
14. Frevo Mulher
15. Anjos Perdidos
16. The Trooper
17. Metalmania
18. Vou-me Embora

Recomendamos Para Você

Veja Também
Fechar
Fechar
Fechar