fbpx
Live Evil

TAURUS

Sesc Belenzinho - São Paulo/SP, 12 de março de 2016

Hoje em dia são poucos os grupos brasileiros que podem desfrutar de ter o privilégio de estar na ativa para celebrar trinta anos de carreira. O Taurus é um deles – apesar de que no meio do caminho fora acometido por um longo hiato longe dos palcos, embora nesse período não tenha decretado o fim de sua história. Para comemorar esta marca, o quarteto carioca que há alguns anos é formado pelos fundadores Otávio Augusto (vocal) e os irmãos Cláudio (guitarra) e Sérgio Bezz (bateria), e também pelo mais recente integrante, o baixista Felipe Melo, acaba de lançar o DVD ao vivo “Taurus 30 Anos”.

Os taurinos já se apresentaram algumas vezes na terra da garoa, e o mais legal e curioso disso é que em suas últimas passagens pela capital, as suas apresentações aconteceram em comemoração a algo em especial. Em 2013 a banda tocou no consagrado festival “Super Peso Brasil”, que aconteceu no Carioca Club sob o intuito de homenagear alguns dos grupos pioneiros do Heavy Metal nacional, reunindo, além dela, o também carioca Metalmorphose, os paulistanos Centúrias e Salário Mínimo, e o paraense Stress. No ano seguinte foi a vez de marcar presença no “Heavy Rock Revival”, que na verdade foi uma recepção realizada no Blackmore Rock Bar para celebrar o sucesso do “Super Peso Brasil”, tanto o evento em si, quanto o resultado excelente de sua campanha de ‘crowdfunding’, que beneficiou os fãs apoiadores com diversos prêmios que registravam o festival. Agora a festa era só do Taurus, que após promover o DVD “Taurus 30 Anos” no próprio Rio de Janeiro, em show realizado no dia 05 de março, na Rock Experience, foi a vez do público paulistano conferir o seu retorno, dessa vez no Sesc Belenzinho.

Tendo em vista que na mesma noite o Golpe de Estado comemorava os mesmos 30 anos de carreira no Gillan’s Inn English Rock Bar, o Sesc até que recebeu um público razoável, que viu o Taurus entrar em cena ás 21h45, abrindo a noite apresentando o seu último álbum de estúdio, “Fissura” (2010), com a música que lhe intitula. A sequência veio emendada com “Batalha Final”, que empolgou a todos por fazer parte do ‘debut’ “Signo de Taurus” (1986), álbum clássico e responsável por tornar o nome da banda um ‘cult’ da música pesada brasileira mundo afora. Ao final, Otávio cumprimentou os fãs paulistanos e logo anunciou mais duas do “Signo…”, que teria todas as suas músicas executadas até o encerramento do set.

O show estava sendo realizado na véspera da maior manifestação política nacional da história do Brasil e o ‘frontman’ aproveitou para anunciar a próxima música, “Desordem E Regresso”, do álbum “Fissura”, dizendo que a letra é bem atual e tem a ver com a situação desastrosa da política do país. Algo impressionante, não só nas apresentações ao vivo do Taurus, quanto em seus discos de estúdio, é o fato de que o Thrash Metal do grupo sempre evoluiu em busca de uma sonoridade técnica e cheia de climas, criando um elo perfeito entre a temática abordada e o instrumental. Um belo exemplo disso pôde ser conferido na ótima “Dias de Cão”. Isso é algo que fica mais fácil de ser alcançando quando o talento dos músicos caminha em simetria com sua proposta musical. Individualmente, o Taurus conta com quatro elementos competentes em suas respectivas funções: Otávio, além de saber explorar bem as regiões graves e, em certos momentos, agudas de seu vocal, se mostrava bastante simpático e comunicativo; Sérgio, como sempre, muito seguro em seu kit, tocando com precisão, mesmo quando fazia os vocais de apoio; Felipe está cada vez mais adaptado aos seus ‘bandmates’ e chamava a atenção com o baixo bem timbrado e bases seguras que em muitas vezes não se prendiam as mesmas da guitarra de Cláudio, que se destacava tanto pela presença de palco, agitando o tempo todo, quanto por sua técnica que lhe assegura riffs bastante pegajosos, ora velozes, ora cadenciados, e também pelos solos executados com muita melodia.

Continuando, era hora de o Taurus tocar um de seus maiores clássicos: “Mundo Em Alerta”. Para tal, Otávio pediu o auxilio dos fãs a partir do coro inicial de “Signo De Taurus”, curta instrumental que, assim como no disco, antecedeu “Mundo Em Alerta”, que veio após breve introdução mecânica. Foi correspondido em uníssono, o que garantiu um dos momentos mais bacanas do show. Mais ainda quando o convidado Luiz Carlos Louzada, vocalista do Vulcano, surgiu no palco, repetindo a parceria feita no “Super Peso Brasil” onde dividiu o seu vocal ultra grave com os tons rasgados de Otávio. Ao final dessa, Cláudio repassou ao vocalista uma camiseta do projeto cinematográfico “Brasil Heavy Metal”, que recebeu das mãos do próprio idealizador e diretor Ricardo “Micka” Michaelis. Prontamente, Otávio Augusto a ergueu e a exibiu, agradeceu e desejou boa sorte a Micka e disse a todos: “Precisamos divulgar o Metal nacional pelo mundo inteiro. Temos muitas bandas de qualidade. Eu agradeço a presença de vocês, pois ela é fundamental!”.

Após a execução de mais algumas músicas de “Signo…” e “Fissura”, era a vez de apresentar algumas de seus outros dois álbuns, “Trapped In Lies” (1988) e “Pornography” (1989), ambos compostos em inglês e gravados na época em que Otávio Augusto cedeu seu posto de vocalista para Jeziel de Oliveira – que assumia também a segunda guitarra da banda. Coincidentemente, as duas músicas tocadas, respectivamente, foram as que nomearam os dois discos. De volta às músicas em português, chegou o momento de “Gladiadores”, a qual Otávio relembrou o público de que ela nunca havia sido gravada em estúdio, apenas ao vivo no DVD que estava sendo divulgado. Assim que apresentou os quatro integrantes, Otávio falou sobre a música que vinha a seguir: “Eu fiz essa letra, baseada no filme “A Profecia” (N.R.: De 1976, dirigido por Richard Donner, baseado no livro de David Seltzer), que assisti e achei do caralho, sobre a volta do filho das trevas”. Ao perguntar de que música ele se referia, ninguém titubeou ao responder: “Demian”!

Já em clima de despedida, Otávio fez os últimos agradecimentos e apresentou a “saideira”: “A gente vivia 24 horas por dia de Metal, lá na década de 80, por volta de 1985 e 1986. Então, fizemos o nosso hino…”. Os dedilhados de Cláudio já entregavam o que ficou ainda mais evidente quando o vocalista perguntou: “Vamos massacrar?”. Dessa maneira, “Massacre” agitou a todos, mas não encerrou a noite. Otávio, Cláudio, Felipe e Sérgio ainda tinham tempo para mais uma e como não tinham nada nas mangas, deixaram na mão do público escolher qual ele gostaria de ouvir de novo. Como a escolha foi por “Mundo Em Alerta”, Otávio tratou de reconvocar Luiz Carlos Louzada ao palco e assim o Taurus deu o seu “até logo” ao público paulistano.

Após mais um show memorável na cidade de São Paulo, os músicos, bastante felizes, receberam a equipe da ROADIE CREW no camarim e anteciparam que em breve algumas novidades no catálogo da banda serão anunciadas.  Não é querer ser clichê, com o intuito de finalizar da forma mais prática possível esse texto, mas, de fato, o Taurus mostrou nesse show comemorativo que ainda está no pique para queimar muito mais lenha e continuar a sua história por mais alguns anos. Que assim seja!

Setlist:
Fissura
Batalha Final
Império Humano
Desordem E Regresso
Dias De Cão
Signo De Taurus
Mundo Em Alerta
Falsos Comandos
Mercenários
Trapped In Lies
Pornography
Rebelião Dos Mortos
Gladiadores
Damien
Massacre
Mundo Em Alerta (Reprise)

Recomendamos Para Você

Veja Também
Fechar
Fechar
Fechar