fbpx
Roadie News
Tendência

“ZETRO” SOUZA dá sua visão sobre o motivo de o EXODUS não ter tido o alcance comercial das bandas do BIG 4

Ainda que de forma descompromissada, o assunto “Big 4” tem estado em voga nesta semana. Coincidentemente ou não, tanto Dave Mustaine (Megadeth) quanto Steve “Zetro” Souza (Exodus) falaram a respeito. Mostrando-se favorável a uma nova edição do The Big 4, Mustaine declarou em entrevista ao Songfacts que está na hora de o Metallica dar o primeiro passo e todos eles agitarem o pessoal do Slayer para saírem da aposentadoria (leia aqui). Por sua vez, agora foi Zetro que em seu programa no YouTube, Toxic Vault, debateu com seu ex-parceiro de banda, o guitarrista Rick Hunolt, o motivo de o Exodus não ter alcançado o mesmo status comercial dos quatro gigantes que compõem o Big 4 MetallicaSlayerMegadeth Anthrax. Segundo o vocalista, o fato de o Exodus ter demorado muito para lançar seu primeiro álbum, Bonded By Blood, e novamente demorar para lançar o sucessor, Pleasures of the Flash, além de ter trocado de vocalista no início de sua trajetória, foi determinante para o grupo ter ficado para trás de seus pares.

“Entre o lançamento do (debut) Bonded By Blood, que foi em maio de 1985, e o lançamento de Pleasures of the Flesh, que foi em 8 de outubro de 1987, dois anos e meio se passaram. Naqueles dias, (qualquer grupo que ficasse) dois anos e meio sem fazer um álbum estava morto”, afirmou. “Todo mundo que estivesse ouvindo e estivesse de olho em você (anteriormente) já teria esquecido de você – embora eu acredite que Pleasures of the Flesh foi um álbum antecipado por causa do (impacto) que Bonded… tinha feito. As pessoas estavam realmente, tipo, ‘O que eles vão lançar a seguir quando conseguirem um novo vocalista?’ (N.R.: Após as gravações do álbum de estreia, Bonded By BloodPaul Baloff deixou o Exodus Zetro Souza entrou em seu lugar). Mas (a Torrid Records, primeira gravadora a assinar com o Exodus) não queria deixar a banda seguir, e ninguém mais queria se arriscar em assinar com a banda, exceto a Combat, então a Combat teve que pagar a Torrid para irmos até lá, devido a isso demorou muito tempo para ela fazer isso antes do lançamento do álbum. Havia muitas coisas nele (no álbum), mas acho que, como um todo, sendo meu primeiro álbum, fiquei muito orgulhoso desse disco, muito…”. 

Zetro prosseguiu: “Quando Pleasures… saiu, fizemos algumas turnês de alto nível”, relembrou. “O thrash metal ainda era muito, muito novo. Estamos falando de 1987, início de 1988. Fizemos isso com o Anthrax e depois excursionamos com o M.O.D. como atração principal, e todos eles foram muito, muito bem-sucedidos. E acredito que as pessoas estavam começando a entender isso, ‘Pô, o que é esse lance de thrash? Mötley (Crüe) quem?’… Mas essa parada seguiu seu caminho. Até Fabulous Disaster ainda não tínhamos feito um vídeo. E o primeiro vídeo que qualquer banda de heavy fez foi o Metallica para One, de …And Justice for All. Então essa foi a primeira banda, que era pesada. E isso não aconteceu até ’88. Assim, estávamos fazendo algo relativamente novo. E acho que sair de Pleasures… e compor Fabulous… realmente solidificou isso. Lançamos Pleasures… em ’87, 8 de outubro, fizemos uma turnê mundial completa e depois voltamos, e Fabulous… saiu em janeiro de ’89. Nem quinze meses (depois), na verdade”, concluiu.

A ROADIE CREW agora tem um canal no Telegram!

Participe para receber e debater as principais notícias do mundo do metal

https://t.me/roadiecrew

Recomendamos Para Você

Fechar
Fechar