fbpx
Previous slide
Next slide
Previous slide
Next slide

RHESTUS

Os catarinenses do Rhestus são um claro exemplo de persistência e dedicação em prol do autêntico Metal nacional. No ano passado eles iniciaram uma comemoração de vinte anos de atividade, expressada pelo EP Heavy Metal e shows em diversas regiões do país. Para este ano já possuem planos engatilhados para serem executados. O guitarrista Fantasma falou com a ROADIE CREW sobre os planos, a história da banda e sua percepção sobre o cenário metálico.

Já se passaram 20 anos que o Rhestus está na ativa. O que mais almejam nesse momento com o EP?
Alex “Fantasma” Leber: 
Sempre procuramos evoluir e atingir um novo patamar com cada lançamento e com o EP nós tentamos mostrar como a formação está soando depois do álbum Games Of Joy… Games Of War (2010). Também que se deve valorizar o material mais simples como contrapartida ao MP3, ao tentar ver até aonde poderíamos ir com uma produção mais caseira, fazendo a maioria da captação no nosso ensaio como mostra o “Making Of” que está como bônus no EP.

Um dos destaques bem legais do referido EP foi a regravação em português para Insane War (do álbum, Embryo Of The Endless Sands, de 2003). Como tem sido toca-la novamente?
Fantasma: 
Na verdade nunca deixamos de tocá-la. Ela nasceu sendo cantada em português e queríamos resgatar isso, dando uma nova roupagem para ela e ao vivo tem sido ótimo, pois a galera canta com garra o refrão em português.

Durante este tempo quais foram as maiores conquistas, dificuldades e aprendizados que vocês obtiveram sobre a cena metálica?
Fantasma:
 Putz, só essa resposta duraria a entrevista toda (risos). Bom, as conquistas são várias como tocar a música que nós amamos, dividir o mesmo palco com nossos ídolos, o reconhecimento na cena, a camaradagem do público e de outras bandas conosco, ter o nosso próprio local de ensaio etc. Mas posso garantir que a mais importante é estar ativo no cenário. Os aprendizados são enormes, mas digo que se você ama o que faz sem se preocupar com o que os outros dizem já é um passo grande. Também é importante ser realista e ter amigos para te auxiliarem em momentos pesados.

Uma dos destaques no som que praticam é a perfeita fusão entre o Thrash 80’s, Speed Metal e Heavy Metal tradicional. No Brasil, desde os anos 2000, o numero de bandas de estilo similar tem aumentado. O que pensam sobre isso? Qual foi a intensão por traz do título do EP?
Fantasma: 
Este estilo permanece um tempo em destaque e depois continua em paralelo até surgir uma nova onda de outra vertente. No geral hoje há estilos para todos, ou seja, rótulos para qualquer coisa e é até ridículo isso. No EP destacamos o fato de tudo ser Heavy Metal. O som do Rhestus trilha nestes estilos citados há muito tempo, pois os fundadores da banda vinham de outras bandas que tinham como base o Thrash dos anos 80, Speed, Heavy Tradicional e o Punk Rock, então foi algo natural tocá-los. Hoje temos também elementos do Death Metal, mas nossa maior característica é o Metal dos anos 80.

Atualmente, como anda a cena em Santa Catarina, especialmente, para fazer shows?
Fantasma: 
Santa Catarina está crescendo, há eventos o ano todo como o “Open Air” que são uma tradição no Estado, que trazem grandes nomes nacionais e internacionais. Porém como o Estado está em destaque no cenário atualmente, alguns produtores não tem priorizado tanto as bandas locais, preferindo deixá-las de lado em eventos maiores, dando prioridade para bandas já estabelecidas no cenário nacional. Há certa política no meio e já entramos em atrito devido a isto.

Qual o saldo obtido para vocês nos shows ao lado de bandas como Death Angel, Krisiun, Overkill e Sodom?
Fantasma: 
Maior divulgação, visibilidade e experiência. Claro que muitos desses grandes nomes são nossas influências e isso é algo muito gratificante. Mas estando no palco você entende muitas coisas, enxerga muita pressão e estrelismo por parte de algumas pessoas em cima das bandas menores, que por vezes é desrespeitoso. Eu cito problemas como tempo reduzido para tocar, às vezes, sequer, para passar som direito, e até ganhar uma cerveja é algo como um favor. É contraditório isso, pois quando podemos fazer diferente da sociedade em geral, fazemos tudo igual!

Além do EP Heavy Metal, ouvi dizer que estão programando um DVD também. Tal informação procede? Quais os demais planos para um futuro próximo?
Fantasma: 
Sim, é verdade. Ele tem o título de Games At War, por focar a fase do álbum Games Of Joy… O DVD contém na íntegra o show do River Rock de 2010 e seus bastidores, outros dois shows menores, mais um videoclipe etc. Ele mostra como o Rhestus vem sendo em 20 anos independente e sobrevivente no underground brasileiro. Os planos mais próximos são o DVD em 2014 e um novo álbum até 2015, além de tentar uma turnê no exterior.

Compartilhe:
Follow by Email
Facebook
Twitter
Youtube
Youtube
Instagram
Whatsapp
LinkedIn
Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS

EXCLUSIVAS

ROADIE CREW #278
Janeiro/Fevereiro

SIGA-NOS

43,2k

57k

17,4k

1k

22,3k

Escute todos os PodCats no

PODCAST

ROADIE SHOP

SIGA-NOS

Cadastre-se em nossa NewsLetter

Receba nossas novidades e promoções no seu e-mail

Copyright 2024 © All rights Reserved. Design by Diego Lopes