fbpx
Previous slide
Next slide
Previous slide
Next slide

AS THE PALACES BURN: OFFER TO THE GODS [8,0/10]

Nos últimos cinco anos poucas bandas brasileiras foram tão ativas quanto o As The Palaces Burn. Os singles The Devil´s Hand e I Tried saíram em 2018, seguidos pelo single Arcanum e o ótimo álbum de estreia, End´evour, ambos em 2019. Nem a maldita pandemia foi problema, pois o grupo disponibilizou o EP All The Evil, em 2020, e o single For The Weak, no ano seguinte. Agora, em 2022, a ROADIE CREW ouviu com exclusividade mundial o novo trabalho da banda catarinense. Com disponibilização marcada para o próximo dia 30 deste mês nas plataformas digitais, o EP Offer To The Gods é uma homenagem à três gigantes do metal nacional: Angra, Sepultura e Dr. Sin.

Segundo Alyson Garcia, o EP é um “aquecimento” para o segundo full lenght, Drowning In The Shadows, programado para sair no próximo semestre. De acordo com o vocalista da banda, como os covers para Abigail (King Diamond) e Hall Of The Moutain King (Savatage), gravados em End´evour e All The Evil, foram bem recebidos, a ideia agora foi realizar um tributo à cena brasileira. E, direto do clássico Angels Cry (1993), vem Streets Of Tomorrow, em uma versão muito mais pesada, mas sem desvirtuar o que André Matos, Rafael Bittencourt, Kiko Loureiro e Luís Mariutti eternizaram. Garcia não tem o mesmo alcance vocal que o saudoso maestro do metal nacional possuía, mas assumiu a responsabilidade de modo impecável, fazendo uma interpretação que merece aplauso.

O As The Palaces Burn buscou também Mass Hypnosis, do excelente Beneath The Remains, gravado em 1989 pelo Sepultura. O microfone aqui é assumido pelo guitarrista Diego Bittencourt, que fez questão de cantar no modo mais próximo possível da versão original registrada por Max Cavalera. Na metade da primeira audição eu já tinha certeza de que este é um dos melhores covers já feitos para o maior expoente da música pesada brasileira.

Fire, que integra o pesado Brutal, disco que marcou uma nova pegada musical do Dr. Sin em 1995, fecha o EP. A técnica apurada do baterista Gilson Naspolini é, a meu ver, o grande destaque. Desde a introdução da música até aquela virada antológica antes da primeira estrofe você já fica com a sensação de “quantos braços tem esse cidadão?”. O espetáculo vai até o fim e arrisco dizer que Andria e Ivan Busic e Edu Ardanuy vão ficar orgulhosos.

Quer uma sugestão? Fique de olho aqui no site, pois cada uma das músicas terá sua versão em vídeo. O material, que a ROADIE CREW já viu e curtiu, deve ser liberado em breve. Ainda sobre o EP, as linhas de baixo foram gravadas por Rodrigo Martins Zilli, velho parceiro da banda, que atuou como convidado. A produção ficou, novamente, sob comando de Adair Daufembach, que também produziu, gravou e mixou o próximo álbum do As The Palaces Burn. Mas este novo capítulo só ouviremos daqui mais alguns meses. Sem contar spoilers, Garcia explicou que Drowning In The Shadows mais trazer uma evolução na sonoridade do grupo. “A palavra que resume é ousadia”, comentou. Quem ouviu For The Weak já notou que há um certo ar mais moderno em relação à End´evour. Ainda bem, de modo positivo.

ROADIE CREW agora tem um canal no Telegram!

Participe para receber e debater as principais notícias do mundo do metal

https://t.me/roadiecrew

Compartilhe:
Follow by Email
Facebook
Twitter
Youtube
Youtube
Instagram
Whatsapp
LinkedIn
Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS

EXCLUSIVAS

ROADIE CREW #279
Março/Abril

SIGA-NOS

44,2k

57k

17,3k

1k

22,5k

Escute todos os PodCats no

PODCAST

ROADIE SHOP

SIGA-NOS

Cadastre-se em nossa NewsLetter

Receba nossas novidades e promoções no seu e-mail

Copyright 2024 © All rights Reserved. Design by Diego Lopes